Já escreveu os seus desejos para o novo ano?

Resoluções de Ano Novo

O ritual repete-se todos os anos. À meia-noite de 31 de Dezembro, comemos uvas-passas ao som das 12 badaladas e formulamos outros tantos desejos para o novo ano.

Esta é uma forma de entrar no novo mundo com uma atitude positiva e objectivos bem definidos. Mas será a simples formulação suficiente para que os nossos desejos se concretizem?

Revisite o ano de 2021 (foi um ano atípico, é verdade, mas recorde-o): quantas das promessas feitas durante a passagem de ano cumpriu integralmente? Uma? Duas? Nenhuma?

Começo eu: defini mentalmente objectivos tão generalistas, que me recordo apenas vagamente de quais foram. Por isso, não consegui concretizar plenamente nenhum. Resta-me o consolo de saber que não fui a única e que, neste início de ano, tenho uma nova oportunidade.

Segundo Peter Economy, 25% das pessoas desiste de cumprir os seus desejos de Ano Novo na primeira semana e 60% nos primeiros seis meses. Ou seja, só uma minoria persegue as suas metas até ao fim.

Se faz parte, como eu, do grupo de pessoas que rapidamente esquece os objectivos traçados no final do ano, não desanime. Há uma forma muito fácil de manter o foco: escrever as suas resoluções. Acredite: escrever é essencial para o seu sucesso.

De acordo com perito em liderança Mark Murphy, quem regista por escrito as suas metas tem entre 1,2 a 1,4 mais possibilidades de as alcançar do que quem não o faz. Infelizmente, segundo ele, apenas 20% das pessoas costumam fazê-lo.

A explicação é simples: escrever (sobretudo à mão) ajuda o cérebro a lembrar-se mais facilmente dos objectivos. Além disso, ao escrevermos, temos uma melhor percepção das metas que estamos a definir e iremos estar mais focados na sua concretização. 

 

Desejos de Ano Novo

Cinco dicas para definir as resoluções de Ano Novo

Escrever é importante, mas há que saber o que escrever. Para que não corra o risco de se sentir frustrado e desmotivado, há que definir metas específicas, realísticas, mensuráveis e definidas no tempo. Isto não significa que ao longo do ano a lista de resoluções não possa sofrer alguns ajustes. Ou  concluir que um ou outro objectivo deixou de fazer sentido. É perfeitamente normal e não se sinta culpado se decidir abandoná-lo(s).

Se não sabe como definir os seus objectivos para o ano que agora começou, preste atenção a estas cinco dicas:

 

1 – PORQUÊ ESTAS RESOLUÇÕES?

Esta é a pergunta que deve colocar-se em primeiro lugar: porquê estas metas e não outras? O que pretende alcançar com elas? Como se vai sentir quando as atingir? Se tem dúvidas quanto aos porquês, talvez o melhor seja não escrever essa resolução. Pelo menos, por agora. Não escreva uma lista muito longa. É preferível tomar poucas resoluções do que muitas, sabendo de antemão que não conseguirá concretizá-las todas.

Se tiver metas muito ambiciosas, irá sentir-se ansioso e mais rapidamente desistirá de trabalhar para os seus objectivos. Lembre-se que é importante deixar alguma margem para os imprevistos. Nós não controlamos tudo na vida. Eu, por exemplo, defini como uma das minhas metas publicar dois vídeos por mês no meu canal de YouTube porque sei que, neste momento, não tenho capacidade para publicar mais.

 

2 – DEFINA METAS CONCRETAS

Estabelecer objectivos generalistas é meio caminho andado para os esquecer rapidamente. Sei-o por experiência própria. Por isso, em vez de «Emagrecer», escreva «perder 10 quilos até Junho»; em vez de «poupar dinheiro», escreva «poupar 300 euros até Junho». Ajuda também planear a forma como pretende alcançar essa meta. Se, por exemplo, faz anos em Junho e pretende comprar para si um novo telemóvel no valor de 300 euros, escreva «colocar de parte 5 euros por mês».

 

3 – ESTABELEÇA PRAZOS REALISTAS

Deve planear a realização das suas metas de forma realística. Se um dos seus objectivos é deixar de fumar, não abandone os cigarros já amanhã. É preferível ir reduzindo gradualmente o número diário de cigarros consumidos. Segundo o psicólogo americano John C. Norcross, autor de Changeology: 5 Steps to Realizing Your Goals and Resolutions, são necessários três meses para que uma mudança se torne parte da nossa rotina. Há que dar tempo ao tempo.

 

4 – REVISITE REGULARMENTE A LISTA

Não basta escrever as suas resoluções. É preciso que trabalhe todos os dias (ou alguns dias por semana) em prol das suas metas. Se estabeleceu que vai perder 10 quilos até Junho, não vai começar a fazer exercício físico e a adoptar uma dieta alimentar mais saudável no final de Maio, certo? Revisitar regularmente a lista de resoluções ajuda-o a perceber se o plano que traçou é o melhor para as concretizar ou se é necessário ajustá-lo.

 

5 – CELEBRE

Assim que cumprir uma das resoluções, risque-a da lista, celebre e recompense-se. É muito importante assinalarmos as nossas conquistas por mais pequenas que sejam. Elas ajudam-nos a manter a esperança e o foco nas metas que ainda não foram alcançadas. Eliminar as que já foram alcançadas libertam espaço psicológico para concentrarmos a atenção e os recursos naquelas que ainda estão por cumprir.

Feliz Ano Novo!

Sem assuntos para o blogue?

Quantas vezes ficou minutos intermináveis a olhar para uma página em branco sem saber sobre o que escrever? Não me refiro à síndrome da página em branco, mas àquele sentimento de que se esgotaram os assuntos que podemos abordar no nosso blogue. Todos os blogueres já passaram por essa experiência. Eu já passei, e tenho a certeza de que voltará a acontecer.

 

A necessidade de publicarmos regularmente (uma vez por semana no mínimo), a gestão das redes sociais, o contacto com os clientes, o networking, a preparação das newsletters e demais tarefas associadas à divulgação e angariação de trabalho consomem-nos muito tempo e energia. Para não falar das exigências da vida familiar e social. Há alturas em que os encargos são tantos que ficamos física e mentalmente esgotados, sem força para pensar sobre o que escrever a seguir.

 

Acontece também focarmo-nos demasiado no tema-chave do blogue (culinária, moda, livros, economia, viagens, etc.). Isso dificulta a identificação de matérias que, sendo laterais, podem interessar aos leitores/seguidores. Há mais (muito mais) sobre o que escrever além do óbvio. É preciso procurar e estar disponível para encontrar.

 

Este não é o meu primeiro (nem único) blogue. Tenho mais um sobre trabalhos manuaisA Quatro Mãos – e outro sobre a aldeia da minha família materna – Canelas do Douro. Mas o Bloco de Notas é aquele ao qual dedico mais tempo e atenção, e que utilizo para divulgar o meu trabalho. É aquele que me faz ler e estudar muito sobre a actividade de bloguer e guardar alguns momentos para reflectir sobre como dinamizá-lo.

Pausar ou não?

Como referi, já tive períodos em que escassearam as ideias sobre o que escrever neste Bloco de Notas. Momentos até em que não vislumbrei uma única ideia. Apesar da angústia, preferi não publicar durante algum tempo do que escrever um texto sem interesse e sem qualidade. Foi a decisão mais acertada? Não sei, mas foi a que me pareceu a mais adequada na altura.

 

Há quem defenda que é preferível manter a regularidade das publicações, mesmo que os textos sejam menos extensos e acrescentem pouco ao que já publicámos. Que só assim é possível manter o contacto com os leitores e potenciais clientes, sobretudo quando estamos a lançar-nos neste mundo. Mas uma pequena pausa não deverá ser assim tão prejudicial.

 

Os períodos de reflexão, de leitura e de estudo que tive permitiram-me encontrar algumas estratégias para evitar que os assuntos a abordar no blogue esgotem. E foi assim que nasceu a ideia de escrever este artigo.

10 estratégias para arranjar assunto

Confira em seguida algumas formas de contornar o problema da falta de assunto:

1 – Peça ajuda aos amigos e familiares. Pouco tempo depois de ter lançado o Bloco de Notas, enviei um e-mail a algumas pessoas da minha confiança pedindo-lhes que lessem os textos já publicados e me sugerissem assuntos que gostariam de ver abordados. Um olhar de fora é sempre importante;

 

2 – Escreva sobre o óbvio. O que para nós é óbvio, para outras pessoas não é. Por vezes investimos tempo e energia a identificar temas originais (que são muito importantes) e desvalorizamos outro que nos parecem não ter interesse ou que foram bordados demasiadas vezes noutros locais ou sites;

 

3 – Recorra às efemérides. Se o seu blogue é sobre moda, porque não escrever sobre um estilista na data redonda do seu aniversário ou de morte? Caso fale sobre fotografia, evoque a impressão da primeira fotografia a cores, por exemplo. Pode procurar no site Calendarr ou das Nações Unidas datas que façam sentido para o seu blogue;

 

4 – Esteja atento ao que se passa à sua volta. Mantenha-se actualizado lendo blogues, jornais e livros, verifique regularmente quais são os assuntos mais populares nas redes sociais, assista a vídeos no YouTube e a programas de entretenimento na rádio e na televisão;

 

5 – Faça uma lista de assuntos. Quando surgir uma ideia sobre o que abordar no blogue, anote-a. Mesmo que não esteja convencido da sua relevância. Construa uma lista e afine-a com o tempo;

 

6 – Convide outra pessoa para escrever. Cada um de nós tem a sua própria forma de abordar um mesmo assunto. Considere convidar alguém que trabalhe na mesma área para escrever um texto no seu blogue e peça-lhe para fazer o mesmo no blogue dessa pessoas. Assim estará também a divulgar o seu trabalho a outros públicos;

 

7 – Analise os comentários. Os comentários publicados nas suas redes sociais ou de páginas que seguem podem dar pistas sobre o que os potenciais clientes procuram. Analise-os regularmente e com atenção;

 

8 – Escreva sobre assuntos laterais. Esta estratégia é semelhante à do ponto 3. Imaginando que escreve sobre viagens, conte a história dos primeiros trota-mundos, do primeiro eco-resort do mundo ou, porque não, do afundamento do Titanic? Se o blogue é sobre moda, pode falar sobre o lançamento de uma determinada peça de roupa (a mini-saia ou o biquíni) ou a forma de produção de um tipo de tecido. Num ou noutro casos, as hipóteses são variadas;

 

9 – Fale sobre si. Explique por que motivo se apaixonou pelo seu trabalho e o percurso que fez para chegar à fase actual ou conte episódios que tenham marcado a sua vida profissional. As pessoas gostam de conhecer melhor que está do outro lado do ecrã;

 

10 – Elabore listas. Sobre livros, músicas, sites, filmes, de tudo o que se lembrar e que esteja relacionado com o seu trabalho. Ou não.

Última nota

Embora o Bloco de Notas seja muito recente e tenha estado parado durante um longo período, estas são algumas estratégias que já adoptei ou que pretendo pôr em prática para tornar este blogue mais dinâmico e útil a quem o lê.

 

Espero que estas propostas também lhe sejam úteis e contribuam para desbloquear as ideias naqueles momentos em que o cérebro parece estar vazio.

 

Tem outras estratégias? Partilhe-as comigo.